sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

As árvores


As árvores crescem sós. E a sós florescem.
Começam por ser nada. Pouco a pouco
se levantam do chão, se alteiam palmo a palmo.
Crescendo deitam ramos, e os ramos outros ramos,
e deles nascem folhas, e as folhas multiplicam-se.
Depois, por entre as folhas, vão-se esboçando as flores, e então crescem as flores, e as flores produzem frutos, e os frutos dão sementes,
e as sementes preparam novas árvores.
E tudo sempre a sós, a sós consigo mesmas.
Sem verem, sem ouvirem, sem falarem
Sós.
De dia e de noite.
Sempre sós.

Solitárias, as árvores,
exauram terra e sol silenciosamente.
Não pensam, não suspiram, não se queixam.
Estendem os braços como se implorassem;
com o vento soltam ais como se suspirassem;
e gemem, mas a queixa não é sua.
Sós, sempre sós.
Nas planícies, nos montes, nas florestas,
A crescer e a florir sem consciência.
Virtude vegetal viver a sós
E entretanto dar flores.

António Gedeão
Poema das árvores. Obra Poética, Lisboa, edições JSC, 2001

7 comentários:

deep disse...

Também gosto muito de árvores. As tuas fotos estão muito bonitas.

As árvores são símbolo de longevidade, de protecção.

Bom domingo. :)

Fernando Santos (Chana) disse...

Belas fotografias de lindas árvores...belo texto...Espectacular.....
Um abraço

Elena disse...

GEdeão es uno de mis poetas favoritos portugueses. Siempre se trasluce en su obra su ciencia. En este caso el protagonista es el sufrido árbol. Que sería de nosotros sin ellos!. Tus fotos me han gustado mucho. Beijinhos.

aa disse...

Árvores... que dão sempre belas fotografias... quer tenham folhas... estejam sem elas... árvores com folhas, flores e frutos e até mesmo uma árvore já morta fica bem numa fotografia... com estas tuas quatro fotos podemos confirmar isso mesmo... Gostei bastante!
Quanto ao texto que as acompnha, só posso dizer uma coisa... é magnífico... foi muito bem escolhido!
Muito obrigado pela partilha, pois não conhecia este lindíssimo poema de António Gedeão sobre 'as árvores'...
Bom fim de semana para ti!
Beijinhos,
AA

Vagamundos disse...

Ilustraste bem o poema do António Gedeão com as tuas fotografias.
Abraço

Valentim Coelho disse...

Olá a todos,
obrigado pelos comentários.
Cumprimentos.

Luciana P. disse...

Adorei essas imagens!