domingo, 14 de setembro de 2008

O astronauta de Salamanca


Em 2002 fiz um passeio com umas amigas a Salamanca (Espanha), que coincidiu com o ano em que esta cidade foi capital europeia da cultura.
Como era a primeira vez que visitávamos Salamanca, aproveitamos o dia para percorrer a parte antiga da cidade e visitar alguns dos monumentos. Depois de termos visitado a catedral nova de Salamanca e quando estávamos de saída, deparamo-nos com pequeno grupo de pessoas, que pareciam japoneses, a olhar com grande espanto para os adornos da porta principal, tirando também algumas fotografias.
Após eles se terem ido embora, nós aproximamo-nos do local começamos a olhar para ver se havia algo de anormal. Ficamos ali parados durante algum tempo sem reparar em nada de especial. Passado algum tempo descobri no meio daqueles adornos todos um astronauta. Que estranho, pensei eu!! Uma catedral do Séc. XVI com um astronauta esculpido…
Viemos embora de Salamanca sem saber o porquê de tal imagem. De facto isso tornou-se um mistério para mim, até que passado 3 meses quando voltei a Salamanca para três dias de trabalho na universidade, quando dávamos um pequeno passeio pelas ruas, apareceu alguém que ganhava a vida entre os turistas a descrever a história da cidade e em troca de algumas moedas, nos contou a historia do astronauta.
Fiquei a saber então que a catedral tinha sido restaurada em 1992, e que os pedreiros quiseram deixar uma marca do século XX, para a posteridade. O astronauta, símbolo da aventura espacial e da chegada do Homem à lua é uma marca do século XX que sempre será recordada.

1 comentário:

AA disse...

Olá Valentim!
Por onde te vim encontrar...:) Pelo mundo da blogosfera... Estas modernices levam-nos a descobrir sítios magníficos e a encontrar pessoas que não vemos com muita frequência, como foi o caso...
Ainda não tive tempo de ver o teu blog todo, mas pelo que vi gostei...
E como podes ver também aderi a este mundo virtual...:)
Agora que o descobri virei mais vezes fazer uma visitinha...
Bom fim de semana para ti.
Beijos da "madrinha de praxe"

Alexandrina Areias